Mercado Imobiliário

Preços da diária para Natal e Ano Novo em São Paulo estão bastante variados, diz Creci-SP

Segundo pesquisa realizada pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), existe uma desproporção nos valores das diárias dos imóveis de locação para as festas de fim de ano.

(Foto: Shutterstock)
Ilhabela é uma das cidades que participou da pesquisa do Creci- SP (Foto: Shutterstock)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para curtir as duas semanas de festas e férias de janeiro, existem várias opções que não comprometem o bolso. Nas praias do litoral norte e sul uma quitinete, por exemplo, sai em torno de R$ 183, já casas no litoral central ou em sítios de sete dormitórios em Itu, no interior, a diária está entre R$ 3 mil e R$ 4.850 mil. A explicação para a desproporção de valores, é o número de hóspedes que cabem dentro do imóvel. Quitinetes acomodam entre duas ou três pessoas, já casas com quatro dormitórios acomodam até 20 pessoas e sítios com sete quartos, até 30 pessoas.

Em comparação a pesquisa de 2014, contatou-se que houve um empate entre os tipos de imóveis que estão com a diária do aluguel mais caro foi Guarujá, Santos e São Vicente com casas de três dormitórios e aumentou 122%. A compensação por essa alta fica por conta de dois outros tipos de imóveis, que estão com as diárias 55,55% mais baratas que no ano passado. Os apartamentos de quatro dormitórios em cidades do Litoral Norte como Ubatuba e Ilhabela estão sendo oferecidos a R$ 800 por dia, exatos R$ 1.000 a menos que em 2014.

Gastando menos

A pesquisa do Creci-SP, apurou que as famílias que puderem se acomodar em imóveis com 2 dormitórios gastará menos dinheiro e que os valores das diárias baixaram de norte a sul. A diária casas nas cidades litorâneas baixou 45,53% (de R$ 650 em 2014 para R$ 354 agora) e a dos apartamentos caiu 34,7% (de R$ 631 para R$ 395).

Verificou-se que em todas as cidades do litoral, os proprietários se dispõem a alugar seus imóveis por até dez dias na época do natal e réveillon.

“Mas quem já quiser estender o período para as férias de janeiro não encontrará nenhum obstáculo em negociar prazos e valores”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho. Ele recomenda “muito cuidado na hora de fechar negócio”, aconselhando que se desconfie “de ofertas generosas, anúncios em locais cuja credibilidade se desconheça e facilidades que dispensem as formalidades que dão garantia efetiva a quem aluga”.

No interior

Segundo a pesquisa realizada com 35 imobiliárias em 17 cidades, os valores das diárias no interior em uma chácara ou sitio, mostrou grande diversidade de valores, mas tudo depende da localidade e do tamanho do imóvel.

Veja alguns exemplos:

Sorocaba – Imóveis com dois dormitórios estão com diárias de R$ 2.500, já com três dormitórios sobe para R$ 3.500 e para R$ 4 mil nos de quatro dormitórios. Os proprietários admitem de 10 a 30 pessoas, dependendo do número de quartos.
Itu – Imóveis com três dormitórios saem por R$ 3.400, quatro dormitórios R$ 4.450 e R$ 4.500 com cinco dormitórios. O número de pessoas admitidas varia de 10 a 30.
Atibaia – Com três dormitórios a diária sai por R$ 1.620 e com cinco dormitórios R$ 3.125.
Bragança Paulista – As opções disponíveis encontradas nas imobiliárias são de imóveis a partir de cinco dormitórios por R$ 2.193 e com seis dormitórios R$ 3.500.

Alugue com antecedência

Segundo o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, não importa se é casa de praia ou uma chácara no sítio, os interessados devem se apressar para tomar a primeira providencia e pesquisar preços e fechar a locação o mais rápido possível.

“Não escapará de pagar mais, porém, quem deixar para alugar de última hora, terá ainda mais a limitação das possibilidades de escolha porque os melhores e mais bem localizados imóveis, com as melhores diárias, já deverão estar alugados ou reservados”, comenta Viana.

A pesquisa do Creci-SP foi realizada nas cidades de Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião, Ilhabela, Bertioga, Santos, São Vicente, Guarujá, Mongaguá, Itanhaém, Praia Grande, Peruíbe, Sorocaba, Cotia, Itu, Atibaia e Bragança Paulista.

Escreva um comentário