Mercado Imobiliário

Aluguel de temporada, os cuidados e as obrigações do corretor de imóveis

Com a chegada do verão e das férias, a oferta e a procura por casas de veraneio aumentam e as pessoas vão se adiantando com as locações temporárias de imóveis. Para isso, o corretor precisa estar atento a alguns cuidados básicos que devem ser tomados na hora da negociação, medidas simples podem evitar mal entendido com os clientes.

(Foto: Shutterstock)
Na hora da negociação cuidados básicos devem ser tomados (Foto: Shutterstock)

Antes de oferecer um imóvel de temporada, é importante que o corretor conheça tudo sobre a casa ou apartamento, pois neste tipo de locação os interessados estão localizados em outras cidades, e é muito comum que as fotos sejam “diferentes” do imóvel, explica o advogado Renato Savy.

+ Gostou das dicas? Aproveite e deixe seu comentário!

+ Faça seu cadastro no ZAP Pro e receba as novidades!

Alugar imóvel é sempre um risco, caso seu cliente não tenha disponibilidade para visitar o imóvel, envie referências de pessoas que tenham se hospedado no mesmo lugar e não esqueça de encaminhar informações sobre o entorno do imóvel para que o interessado saiba se o local é calmo ou agitado, se há comércio perto e qual é a distância do centro da cidade ou da praia.

Sempre existem dúvidas na hora de formalizar uma negociação, para isso o profissional que está intermediando deve elaborar um contrato bem detalhado. “No documento deve constar data de entrada e saída, dados do proprietário, valor do aluguel, formas de pagamento, descrição da mobília e utensílios domésticos disponíveis na cozinha, possíveis taxas de água e luz. Este documento evita dores de cabeça para ambos os lados”, explica o corretor de imóveis Vinicius Lima.

+ Conheça o “retrofit” e saiba suas vantagens

+ Saiba quais são as expectativas para o mercado imobiliário em 2017

+ Veja dicas para vender um imóvel para aposentado

+ Veja como tirar boas fotografias em ambientes com pouca luz

+ 5 dicas para você abordar seu cliente e vender mais

+ Entenda o que é recuperação judicial

Escreva um comentário