Mercado Imobiliário

Como o corretor deve organizar as finanças

Especialista: Finanças

Assim como no caso de qualquer profissional liberal ou autônomo, o planejamento financeiro é algo imprescindível na atividade de corretor de imóveis, principalmente pelo fato de não existir nenhuma garantia real de quando ocorrerá a próxima entrada financeira.

 

(Foto: Shutterstock)
(Foto: Shutterstock)

É claro que existem profissionais que já deixaram para trás a insegurança, mas, na grande maioria dos casos, só há uma alternativa: ter planejamento e disciplina. Para esses, preparei algumas dicas:

1 – Faça um levantamento real dos gastos fixos mensais, aqueles como locomoção, alimentação e apresentação visual. São essas despesas que você terá mesmo que não tenha receita alguma;

2 – Faça uma separação entre os gastos de manutenção pessoal (aluguel, água, luz, telefone, escola, alimentação, lazer, prestações assumidas, negociações efetuadas com bancos e outras instituições financeiras) e os gastos de manutenção profissional (esses citados acima, com transporte, alimentação, manutenção de veículo, combustível e apresentação visual);

3 – Depois de dimensionar os custos das necessidades mínimas, é preciso direcionar a comissão recebida para a manutenção mensal;

4 – Pode acontecer de uma comissão atingir um valor extremamente elevado e, nessa hora, o planejamento é de suma importância. O corretor tem que ter condições de responder às seguintes perguntas: esse valor se repetirá? Minha previsão para o próximo mês é otimista? Tenho novos negócios próximos de serem realizados? As respostas a estas perguntas serão determinantes para o seu comportamento em relação à comissão.

 

Escreva um comentário