Mercado Imobiliário

Como o corretor pode garantir uma boa aposentadoria

Uma luta todos os dias, com resultados financeiros diferentes. O corretor de imóveis tenta fazer negócios. Mas nem todos os contratos são fechados. Quem é da área sabe que, num mês, a renda pode ser alta – no outro, quase nada. De zero a dez em trinta dias. Diante desta realidade de oscilação, como se aposentar? Como o corretor pode se preparar, guardar dinheiro e ter uma aposentadoria tranquila?

 

(Foto: Shutterstock)
Aposentadoria para corretores de imóveis é uma questão de planejamento e disciplina (Foto: Shutterstock)

 

Na verdade é uma questão de planejamento e disciplina. “O corretor precisa priorizar a informação de que a sazonalidade faz parte de sua rotina. Por isso, um investimento tradicional ou um plano de previdência privada podem não atender às necessidades deste profissional”, diz o professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP) Samy Dana. Segundo ele, a falta de vínculo  empregatício de alguns corretores e a “insegurança” trazida pela renda oscilante não podem atrapalhar os investimentos. “Se num mês ele ganha R$ 500 reais e no outro, R$ 5 mil, o corretor deve guardar mais neste em que teve mais sucesso para recuperar as perdas de outros períodos difíceis. Ou seja, é preciso trabalhar a média dos valores”, indica o especialista.

Samy Dana dá duas sugestões de investimento aos corretores que querem garantir uma boa aposentaria. Uma delas é o Tesouro Selic, título pós-fixado que oferece uma boa rentabilidade e liquidez diária. “A opção oferece a possibilidade de o investidor fazer qualquer aporte”. A outra é o Tesouro IPCA, que paga a inflação mais algum percentual.

Escreva um comentário