Mercado Imobiliário

Panorama do mercado imobiliário e expectativa para 2016

Os resultados de 2015 são levados em conta para que os participantes do setor imobiliário possam fazer o planejamento de 2016. Este foi um ano de dificuldades e a resolução de algumas questões pendentes na seara política é decisiva para que o próximo período possa ser encarado de forma mais animadora. Esta, basicamente, é a opinião do economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci.

ano novo 2016
As empresas e as pessoas esperam dias melhores em 2016 (Foto: Shutterstock)

Ele cita os números de lançamentos na cidade de São Paulo este ano: um total de 21 mil unidades. Em 2014 o montante foi de 34 mil. “O resultado é da cidade de São Paulo, mas podemos dizer que é um retrato do que acontece em vários pontos no Brasil. Os esforços do mercado imobiliário hoje priorizam os imóveis que ainda não foram vendidos de empreendimentos prontos. Os novos não saíram do papel”, relata o economista-chefe do Secovi. “Existe atualmente a necessidade de as empresas fazerem caixa para conseguirem honrar suas dívidas, como os financiamentos bancários, por exemplo”.

Segundo ele, a falta de confiança das empresas impede o lançamento dos empreendimentos. Existem vários projetos aprovados e prontos para serem executados. “A expectativa é de que algumas questões institucionais e políticas sejam resolvidas no primeiro trimestre de 2016. Se isso acontecer, é possível que o mercado imobiliário registre um resultado parecido com o de 2015. Se a situação se arrastar para o meio do ano – ou mais – não será possível nem chegar aos números deste ano”.

Petrucci afirma que o mercado, hoje, precisa de uma definição para sair do compasso de espera. “As pessoas e as empresas estão preocupadas, mas esperam dias melhores no ano que se aproxima”.

Escreva um comentário