Mercado Imobiliário

Dicas para corretores fazerem excelentes fotos de imóveis utilizando os smartphones

Se a propaganda é a alma do negócio, a imagem do produto é a chave que pode garantir a assinatura do contrato. Muita gente que está procurando imóveis se anima por conta das fotos das unidades disponíveis postadas nas redes sociais – imagens feitas pelos corretores, que na maioria das vezes utilizam smartphones. Como a responsabilidade dos “cliques” é enorme, é preciso caprichar.

Assista ao vídeo:

O fotógrafo profissional Paulo Pampolin diz que, com alguns cuidados, as fotos do imóvel podem ficar boas e garantir o interesse dos possíveis interessados. A primeira dica é nunca usar o flash. “Ainda não foi desenvolvida uma boa tecnologia para smartphones que garanta a qualidade da foto se utilizado o flash. O melhor é usar a luz ambiente”, afirma Pampolin.

Um erro bastante comum é fazer uma foto de um cômodo com a janela aberta. Desta forma, a luz de fora vai diretamente para a lente da câmera do aparelho e a imagem sairá escura. “Mas o corretor pode acender a luz elétrica ou ficar do lado da janela e usar a seu favor a luz que vem de fora”, explica o fotógrafo.

Pampolin lembra que o enquadramento é também importante. As fotos horizontais ou verticais têm que ser feitas levando em conta o que será retratado.

“Uma estante, por exemplo, deve ser fotografada em posição vertical. Já a sala de um apartamento, na horizontal: foto panorâmica”.

O corretor precisa também fazer várias fotos para ter boas opções de um mesmo ponto. E, antes de fazer o clique, checar tudo o que está no quadro. Pode parecer uma dica óbvia, mas é comum que as fotos saiam com paredes sujas ou com cesto de lixo – só para citar alguns “inconvenientes”.

E é bom ressaltar que, dependendo do perfil da casa ou do apartamento, vale a pena contratar um fotógrafo profissional. “Um imóvel de alto luxo, com valor de R$ 10 milhões, por exemplo, merece um investimento maior e demanda uma foto impecável”.

Escreva um comentário