Mercado Imobiliário

Imóvel fracionado pode ser um bom negócio para o corretor?

Os imóveis de luxo, aqueles que moram nos sonhos de muita gente, podem sim estar ao alcance da mão e fazer parte do dia a dia. Mesmo para quem não tem milhões na conta. O caminho para isso é a compra fracionada de imóveis. Um exemplo: uma pessoa está de olho numa casa de alto padrão em Camboriú. O bem custa, digamos, R$ 1 milhão. Mas se outros nove consumidores tiverem o mesmo anseio, podem adquirir juntos o imóvel. Cada um dos participantes terá direito a uma parte e terá que desembolsar R$ 100 mil. “Esta é uma forma de o consumidor comprar o imóvel e usufruir dele sem ter que arcar com um valor que fica bem acima da realidade. Os envolvidos dividirão a quantia principal, os custos, impostos, despesas e também, claro, terão que combinar o uso do imóvel. Cada detalhe está previsto no contrato”, afirma o consultor especializado em novos negócios Alex Strotbek.

(Foto: Shutterstock)
O consumidor compra o imóvel e usufrui sem ter que arcar com um valor que fica bem acima da realidade (Foto: Shutterstock)

Esta é uma área próspera para a atuação do corretor. O profissional pode unir as pessoas e facilitar a criação do grupo de interessados pelo imóvel. “O corretor precisa ter todas as informações na ponta da língua. Ou seja, a pessoa será dona de uma fração do bem e terá direito a ela na mesma proporção sem que o bolso pese. E poderá, inclusive, alugar este ‘pedaço’, ressalta o especialista. Ele diz que este tipo de aquisição é bastante comum no exterior e vale para casas na praia, na montanha e até fora do Brasil.

“Este mercado não para. O interessado na compra fracionada é aquele que já tem estabilidade financeira, possui um ou mais imóveis e quer investir ou sonha em viajar para um lugar bacana que seja dele. E conseguirá fazer a vontade da família, mesmo sem ter o total exigido. O comprador terá o imóvel que deseja sem gastar demais”.

Dicas – Strotbek deixa claro que o corretor terá mais sucesso se estiver inserido no mundo das pessoas que podem participar do negócio. Outro fato que facilita a venda é trabalhar numa empresa – construtora ou incorporadora – tradicional e que tenha um bom nome no mercado. “O corretor precisa estar disposto a explicar o negócio de forma didática. E tem que ser bem formado e informado – saber o que está vendendo. O interessado no imóvel é uma pessoa esclarecida e precisa ser conquistada”.

 

Escreva um comentário