Mercado Imobiliário

Corretor autônomo, saiba como declarar o imposto de renda 2017

O corretor autônomo que recebe comissões de pessoas físicas e recolhe mensalmente os tributos pelo carnê-leão precisa apenas exportar as informações para o programa do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2017. A declaração começou em 2 de março e vai até 28 de abril. Deve declarar quem recebeu, em 2016, rendimentos tributáveis maiores do que R$ 28.559,70.

O auditor-fiscal Valter Koppe, supervisor do Imposto de Renda Pessoa Física no estado de São Paulo explica que o programa foi aperfeiçoado para fazer a elaboração e a transmissão da declaração em único arquivo, não é mais necessário baixar o Receitanet.

(Foto: Shutterstock)
Fique de olho nas datas e faça seu imposto de renda (Foto: Shutterstock)

“Outra novidade é que o programa sofre constantes melhorias e, durante o período de entrega, podem surgir novas versões do próprio programa. Na hora que abre ele verifica se existe versão nova e se o usuário deseja atualizar, preservando os dados”.

Segundo Koppe, para dependentes com 12 anos de idade completos em 31 de dezembro de 2016, o CPF passou a ser obrigatório. Além disso, algumas fichas sofreram melhorias e foram redistribuídas para facilitar o preenchimento.

+ Veja como tirar boas fotografias em ambientes com pouca luz

+ 5 dicas para você abordar seu cliente e vender mais

“Lembrando que a pessoa deve guardar por cinco anos toda a documentação que embasou a declaração. Não há necessidade de enviar para a Receita. Mas como a declaração do contribuinte é reprocessada quase que mensalmente, pode surgir a necessidade de alguma comprovação”, diz o auditor-fiscal.

A multa por atraso na entrega está limitada a 20% do imposto devido. Porém, em caso de omissão de rendimentos, começa em 75%, podendo ser agravada para até 225% em caso de fraude.

Não esquecer

O contador José Daniel Passos Alves alerta para que as pessoas não esqueçam de informam dados importantes. “A falta do informe referente aos créditos da Nota Fiscal Paulista (no estado de São Paulo), a ausência de CPF para dependentes com 12 anos ou mais e a proibição de informar contribuinte em mais de uma declaração, como dependente ou titular, são os erros mais comuns”.

+ Veja dicas de como não errar na fotografia imobiliária

+ Corretor, saiba como transformar leads em vendas

+ Gostou das dicas? Aproveite e deixe seu comentário!

+ Faça seu cadastro no ZAP Pro e receba as novidades!

+ Conheça o “retrofit” e saiba suas vantagens

+ Saiba quais são as expectativas para o mercado imobiliário em 2017

+ Veja dicas para vender um imóvel para aposentado

 

Escreva um comentário