Mercado Imobiliário

Corretor como 2º emprego dá trabalho, mas pode dar certo

corretor como segundo emprego

Em um dia que parecia ser como qualquer outro, o advogado Juarez Aristatico Neto viu que um prédio seria construído e resolveu visitar o lançamento para saber os valores e conhecer o projeto. Durante a conversa com o corretor, Neto chamou atenção das pessoas que trabalhavam ali e foi considerado um corretor em potencial.

O advogado voltou para casa e conversou com a sua mulher, que ouviu a descrição do apartamento e imediatamente se apaixonou pelo discurso do seu marido. Ela resolveu que aquele imóvel seria o novo lar do casal. O advogado então voltou para assinar o contrato e fechar negócio, mas nesse dia ele ganhou uma segunda profissão. Neto recebeu um convite para ser corretor de imóvel. A gerente da empresa garantiu que ele tinha o perfil que eles precisavam para integrar a equipe.

Neto conta que no início não foi fácil. Ele não poderia dar exclusividade à empresa, então após muita negociação eles chegaram a um acordo. Ele trabalharia como corretor uma vez por semana em tempo integral e aos finais de semana. O advogado então passou a ir para seu escritório de advocacia mais cedo, às 7h, para atender clientes e foi aos poucos se adaptando.

Como ser um corretor nas horas vagas:

1 – Converse com a empresa e veja se ela permite que você tenha dois empregos. Depois, negocie os horários e finais de semana;

pessoas_conversando
2 – Procure o Creci (Conselho de corretor de imóveis) e tire o registro de corretor de imóvel;

carterinha_creci

3 – Organize os seus horários. Muitas vezes você vai ter que sair para trabalhar mais cedo e voltar mais tarde para casa. Os finais de semanas quase sempre serão de trabalho, já que é o período em que acontecem os plantões de venda em empreendimentos;

reloginho

4 – O trabalho de corretor é também de tempo ocioso. Durante um plantão de vendas, por exemplo, você pode passar horas sem atender um cliente. É possível levar um notebook e aproveitar o período para realizar outras tarefas.

pessoa_notbook

“Eu comprei um imóvel e fiz uma dívida, eu ganharia então um dinheiro a mais para não precisar mudar meu orçamento. A vida de corretor é muito interessante, aprendo e conheço muita gente. Eu vendo sonhos e é muito gratificante receber esse feedback, saber que a pessoa está realizada com seu apartamento”, diz Neto.

A “vida dupla” de Neto completou cinco anos. Hoje, aos 51, diz que na hora da venda ele não pensa na comissão, pois ele se envolve mesmo nos objetivos e perspectivas do cliente e se esforça para não faltar nenhuma informação.

O advogado conta que após dois anos como corretor ele foi promovido a coordenador e atualmente ocupa o cargo de gerente da empresa. “Eu ficarei com as duas profissões enquanto for bom para mim. Meus horários são flexíveis e consigo usar esse dinheiro a mais para pagar a prestação da minha casa e com gastos como viagens”, conclui.

Escreva um comentário