Mercado Imobiliário

Exclusividade de venda é um bom negócio

Especialista: Mercado Imobiliário

Na paisagem urbana, quem já não viu imóveis cobertos de placas de “vende-se”, envolvendo diferentes empresas ou profissionais? Essa corrida maluca em busca da realização do negócio, em vez de favorecer, contribui para depreciar e desvalorizar o imóvel posto à venda.

exclusividade-casa

Por isso, a exclusividade de venda é fundamental tanto para o proprietário do imóvel quanto para o corretor. Quando obtém a exclusividade, o corretor fica na obrigação de gerenciar bem o produto, pois deve cumprir à risca o contrato que assinou.

No entanto, para que a exclusividade seja bem-sucedida é crucial que a venda se dê com rapidez, o que obriga o corretor a tomar certos cuidados, como avaliar bem o preço de mercado e conscientizar o proprietário sobre a real situação do imóvel, mostrando-lhe, por exemplo, que conservação e pintura são de suma importância.

O corretor deverá selecionar para trabalhar de dez a 20 imóveis, no máximo, nos quais se tomará um “especialista”. Cada tipo de produto tem um prazo médio para vender. É Importante fazer um comparativo de vendas realizadas por um determinado período e analisar os produtos da concorrência que possam competir com esse imóvel. Os esforços devem ser concentrados nos produtos que tenham possibilidade de resultados mais rápidos: imóveis vagos, chaves com o corretor, preço bom, boa conservação, proprietário que queira vender rápido e documentação em ordem.

Na exclusividade, dedicação é fator indispensável para um trabalho diferenciado. Sem exclusividade, porém, a responsabilidade é menor. Será um produto a mais na “prateleira” dos disponíveis. Em ambos os casos, porém, é necessário que o corretor tenha consciência de que “rapidez” não é sinônimo de “pressa”. A ansiedade do corretor causa desconfiança no cliente.

Escreva um comentário