Mercado Imobiliário

Facilidades atraem compradores

Facilidades de hotel como lavanderia, serviço de limpeza e até sauna são alguns dos atrativos que imóveis como flat, lofts e estúdios oferecem aos seus clientes e que têm caído no gosto dos consumidores.loft

Para que a venda ocorra, é importante que o corretor conheça detalhes que valorizam o empreendimento, como por exemplo a localização, se estará perto de transporte coletivo, itens de lazer e diferenciais como Pay Per Use (serviços fornecidos pela administradora e pagos à parte com limpeza das unidades, lavanderia e tinturaria, fornecimento de água mineral, manutenção, personal trainer, reparo de computadores e refeições congeladas). “É claro, também é muito importante pesquisar hábitos e costumes do público-alvo desse tipo de empreendimento”, explica o diretor de vendas da MBigucci, Robson Toneto.

“Na década de 1990, os flats ganharam destaque no mercado brasileiro e, nos últimos dois anos, foram os lofts e estúdios que passaram a ocupar esse papel”, explica Dante Seferian, CEO da Danpris.

Conforme Toneto, os lofts são ambientes com pé direito acima dos três metros de altura, alguns são duplex, praticamente sem paredes divisórias de ambientes e com apenas um quarto e mezanino. De modo geral, a área de lazer dos lofts fica na cobertura inclui: piscina adulto, piscina infantil, solarium, fitness, SPA/hidromassagem, sauna seca, espaço gourmet.

Já o que diferencia os estúdios é o pé direito, que é de 2,50 a 2,70 metros de altura, como de um apartamento normal, mas as unidades não têm área de serviço (a lavanderia é coletiva). Também são ambientes sem paredes, com total integração, à exceção do banheiro. E oferece área de lazer completa na cobertura e serviço Pay Per Use.

academia
Academia é um dos atrativos disponíveis em lofts, flats e estúdios (Foto: Shutterstock)

Os flats, por sua vez, são administrados como se fossem unidades em um hotel, com todos os serviços de hospedagem. Na locação, é entregue o valor rateado de pool de locação (conjunto de prédios) e não só de cada unidade.

“O primordial em qualquer atendimento imobiliário é que o corretor tenha uma longa conversa com seu cliente, e entenda corretamente sua necessidade. Há clientes que valorizam localização acima de tudo, outros as opções de lazer, há clientes também que possuem uma ideia específica de planta e apartamento em mente, enquanto outros buscam apenas fazer um bom investimento. A configuração familiar também é importante, para que então seja sugerido o produto que mais se encaixa na realidade daquele cliente”, diz Flávia Matos, gerente Marketing da Exto Incorporação e Construção.

A localização desses imóveis tende a ter papel de destaque, já que se trata de um público que busca morar em bairros mais nobres, perto de transporte público, de universidades ou do trabalho. Muitas vezes, é o caso de executivos que passam a semana na cidade e, no fim de semana, voltam para a casa no interior ou na Grande São Paulo, segundo Nelson Parisi Júnior, presidente da Rede Secovi de Imóveis. “Diante disso, as grandes cidades brasileiras, localizadas em importantes regiões metropolitanas, são as que mais têm busca deste tipo de produto”, diz Seferian.

A comissão do corretor de imóveis nesses negócios varia entre 4% e 6% (para unidades em lançamentos) e de 6% a 8% (para unidades usadas), conforme tabela do Creci-SP.

No entanto, os que vendem mais rapidamente são os que mais rendem para os corretores, já que, além da venda, eles tendem a receber uma gratificação extra, e, segundo o Secovi-SP, isso costuma acontecer mais rapidamente nos apartamentos de até 30 m², na região central da cidade ou na zona sul, em regiões como o Brooklin e Berrini.

+O corretor precisa conhecer as características das várias gerações de clientes

+Apartamentos compactos são tendência no mercado imobiliário

+Saiba como orientar seu cliente na reutilização do FGTS para abatimento de dívida

+Indicação de profissionais é bem-vinda e fideliza clientes

Escreva um comentário