Mercado Imobiliário

Financiamento imobiliário: tudo que o corretor de imóveis precisa saber

Ter todas as informações na ponta da língua minimiza as chances de perder a venda (Foto: Shutterstock)
Ter todas as informações na ponta da língua minimiza as chances de perder a venda (Foto: Shutterstock)

O financiamento, na maioria das vezes, é o caminho para quem quer comprar um imóvel. Bom para os interessados no negócio, bom para o corretor – que precisa ter todas as informações na ponta da língua para não perder a venda.

A função básica do corretor é aproximar compradores e vendedores e fazer o que estiver ao seu alcance para efetivar o negócio. “Entre as informações mais importantes é possível destacar as normas bancárias que se aplicam a cada tipo de financiamento”, diz o advogado especializado em Direito Imobiliário, Bence Pal Deak. Outro ponto lembrado por Deak é o tempo de aprovação do financiamento. “O processo pode ser lento. O valor só é recebido depois que o bem é registrado no cartório. E o corretor tem que saber destes detalhes”, ressalta Deak. O prazo “normal” para o recebimento do valor é 15 dias. Mas pode chegar a três meses em casos extremos.

Experiência – Além de dar as informações e torcer para que o processo dê certo, o corretor tem a seu favor a intuição e a experiência adquirida para saber se o financiamento será concedido ao candidato a proprietário.

O corretor precisa, acima de tudo, agir com transparência. O possível comprador deve ser atendido com presteza . O profissional não pode, em momento nenhum, colocar em risco os interesses de quem está comprando ou vendendo um bem. Este é o limite. A partir daí, são as condições financeiras do interessado é que vão definir se o negócio poderá ser fechado. “O corretor pode também se precaver e ir ao cartório de registro de imóveis e tirar uma certidão para saber o histórico do bem: se ele tem penhora ou hipoteca ou alguma restrição para venda por exemplo”, afirma o advogado.

 

Escreva um comentário