Mercado Imobiliário

A importância das fotos para o mercado imobiliário

A vida passou a acontecer, em boa parte do tempo, por meio de uma tela. As pessoas mal tiram os olhos de computadores, smartphones e tablets – namoram, conversam, compram e pesquisam. A aquisição de um imóvel se encaixa neste contexto. A escolha do melhor apartamento ou da casa que mais atende as necessidades da família pode ser feita rapidamente. E se o interessado tiver muitas fotos do bem ao alcance de um clique, melhor ainda. Foi esse o caminho trilhado pela Axis 21 Imóveis.

(Foto: Shutterstock)
A imagem é tudo e precisa ter qualidade (Foto: Shutterstock)

“Quando o cliente quer vender um imóvel e confia este trabalho à imobiliária já é preparado. Serão muitas as fotos divulgadas para que o negócio seja fechado o mais rápido possível”, afirma o diretor da empresa, Ricardo Elias. O diferencial da Axis 21 é que a imobiliária trabalha com dois fotógrafos, que se encarregam de fazer as imagens dos imóveis. “As fotos são tiradas todos os dias – mais trinta clientes por mês. Vale a pena”.

O cliente recebe um guia com toda a “produção” necessária para a sessão: os objetos pessoais devem ser retirados de todos os cômodos: toalhas, porta-retratos, caixas. Até a tampa do vaso sanitário tem que estar abaixada. Tudo precisa ficar o mais impessoal possível. “O corretor que trouxe o negócio para a imobiliária acompanha a sessão de fotos para garantir um bom resultado. E também para ficar por dentro dos detalhes e informar ou demais corretores da Axis 21 – um total de 18 – sobre as características do bem que vão vender”, ressalta Elias. E não há economia na quantidade de cliques. Um imóvel de 300 metros quadrados, por exemplo, é anunciado com mais de 30 fotos.

“O investimento no trabalho dos fotógrafos ultrapassa os R$ 6 mil por mês. A imagem é tudo e precisa ter qualidade. Os clientes ficam curiosos para ver o bem. A imobiliária é conhecida pela eficiência e vai continuar desta forma”.

Escreva um comentário