Mercado Imobiliário

As possibilidades da impressão 3D no mercado imobiliário

Impressoras 3D têm sido grandes aliadas das empresas no mercado imobiliário. Elas são usadas para produzir maquetes dos imóveis para dar aos clientes o poder de percepção de compra no local de atendimento e podem ainda auxiliar os engenheiros e arquitetos no desenvolvimento dos projetos de construção.

As impressoras 3D reproduzem o projeto com extrema precisão e rapidez (Foto: Shutterstock)
As impressoras 3D reproduzem o projeto com extrema precisão e rapidez (Foto: Shutterstock)

Segundo Luiz Fernando Dompieri, diretor geral da 3D Systems Latin America, as impressoras 3D são usadas para construir maquetes coloridas ou não, já que, em alguns casos, os arquitetos imprimem em preto e branco e depois dão o acabamento para a maquete.

“Dependendo do tamanho da maquete e da impressora, a impressão tem de ser feita em partes. O ponto positivo é que a impressão é rápida e a maquete já sai pronta do sistema. A empresa ganha na qualidade e na velocidade e a maquete será exatamente igual ao que foi projetado”, afirma.

Dompieri conta que, normalmente, são as empresas especializadas em fazer maquetes que compram a impressora 3D e fazem uso desta tecnologia. As construtoras e corretores compram os projetos dessas empresas. De modo geral, essas impressoras custam a partir de R$ 6.000 -as mais baratas, simples e com até três cores -, podendo chegar a R$ 500 mil nos modelos mais sofisticados.

“As maquetes feitas em 3D reproduzem o projeto com precisão e dão uma identificação perfeita do espaço do imóvel. É um grande avanço para o mercado imobiliário”, garante.

Escreva um comentário