Mercado Imobiliário

Mercado de escritórios do Rio de Janeiro inicia ciclo de superoferta

O mercado de escritórios de alto padrão do Rio de Janeiro está iniciando o ciclo de superoferta, segundo dados da Colliers International Brasil referentes ao segundo trimestre do ano. O estudo indica que cidades como São Paulo e Recife já entraram neste ciclo há algum tempo. Ainda segundo a pesquisa, o momento segue sendo interessante para os locatários buscarem oportunidades ou obterem condições mais favoráveis em seus contratos.

(Foto: Shutterstock)
Neste segundo trimestre, a taxa de disponibilidade na cidade apresentou ligeiro aumento (Foto: Shutterstock)

Neste segundo trimestre, a taxa de disponibilidade na cidade apresentou ligeiro aumento, passando de 16,5% para 17,5% nos imóveis de classe A + e de 13,3% para 15,9% nos empreendimentos de classe A. Já nos imóveis de classe B, a elevação foi um pouco maior, passando de 5,6% para 8,9%.

O Rio de Janeiro recebeu no período 10.378 m² em seu inventário e deve receber mais 117 mil m² até o final do ano. Hoje a cidade possui um inventário de 1.19 milhões m² nos empreendimentos das classes A+ e A e 853 mil m² de imóveis da classe B.

Em relação aos preços médios pedidos de locação, os imóveis de classes A+ e A fecharam o segundo trimestre em R$ 156,13 m², diminuição de 2,4% em relação ao período anterior. Leblon, Ipanema e Copacabana seguem sendo as regiões mais caras da cidade com R$ 256,36 m² e R$ 185 m² no período, respectivamente. A Barra da Tijuca apresenta preços mais acessíveis, R$ 98,06 m².

 

Escreva um comentário