Mercado Imobiliário

Mercado imobiliário pode ganhar fôlego com novo governo

A instabilidade política afeta diretamente diversos setores e, ainda, ajuda no aumento da crise econômica. No mercado imobiliário, particularmente, houve grande queda nas vendas de imóveis. Com isso, as construtoras e incorporadoras tiveram que reduzir os lançamentos e focar em vendas de estoques – e ainda assim baixar os preços como solução para recuperar o investimento.

(Foto: Shutterstock)
As expectativas para o setor de construção são positivas (Foto: Shutterstock)

A aprovação do impeachment é vista como uma melhora nas perspectivas. Segundo Sergio Castelani, economista do DataZAP, o novo governo começa a esboçar uma governança econômica mais alinhada com o mercado e com maior ênfase em medidas para o ajuste fiscal.

+ Gostou das dicas? Aproveite e deixe seu comentário!

+ Faça seu cadastro no ZAP Pro e receba as novidades

“Caso estas ações governamentais alcancem o sucesso almejado, a economia deverá apresentar melhora gradual e um respectivo aumento na confiança dos empresários, investidores e consumidores”, afirma o economista.

São muitas as expectativas de mudança no governo Temer, como a desvalorização do dólar, queda na taxa de juros até o fim do ano, ampliação de crédito, entre outras. “Vários são os fatores que devem influenciar positivamente o mercado imobiliário, tanto em termos da melhora das condições de financiamento de imóveis, quanto em termos do aumento da confiança de compradores e investidores”, diz Castelani.

E como isso afeta o corretor de imóveis?

“O profissional do setor imobiliário tem procurado oportunidades na crise e assim tem sobrevivido. E se a economia sair da estagnação, dois dos setores que mais serão beneficiados são a construção civil e o mercado imobiliário, campo de trabalho do corretor de imóveis. Quem aproveitou esse período de dificuldades para aprimorar conhecimentos, sairá na frente, explica o presidente da FENACI (Federação Nacional dos corretores de imóveis), Joaquim Ribeiro.

michel-temer-zappro

Para Ribeiro é preciso dar um voto de confiança ao governo que se inicia, já que existem projetos de ações que podem mudar todo o cenário econômico.

“Nos planos da equipe econômica do novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, estão propostas que podem movimentar a economia e trazer fôlego novo à construção civil e ao mercado imobiliário, que é a matéria-prima do trabalho do corretor de imóveis”, comenta Ribeiro.

O governo de Michel Temer traz uma forte sensação de recuperação. Para Flávio Prando, Presidente do SECOVI- SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis – SP), existem alguns pontos negativos como o afastamento definitivo ou não da presidente Dilma Rousseff, se o governo vai ter maioria concreta, o real apoio parlamentar, entre outros pontos. “Essas questões podem trazer alguns ruídos, mas acreditamos que o próprio parlamento vai ver que são necessárias reformas profundas e que o afastamento deve ser concretizado”, explica Prando.

+ Veja dicas de como não errar na fotografia imobiliária

+ Quando dividir a comissão de um imóvel?

+ Por que o corretor precisa conhecer os termos jurídicos?

+ Saiba o que você precisa para ser um bom corretor de imóveis

+ Corretor, saiba como transformar leads em vendas

Escreva um comentário