Mercado Imobiliário

Conheça os tipos de seguro imobiliário e saiba como orientar o seu cliente

São diversos os tipos de seguros para imóveis existentes no Brasil, no entanto os mais contratados são apenas dois, o patrimonial – contra incêndio, roubo de imóveis – e habitacional – contra riscos de morte e invalidez do mutuário e de danos ao imóvel financiado.

“Geralmente o seguro mais adquirido é o que segue no contrato pactuado no Sistema de Financiamentos Habitacional (SFH), que é obrigatório, pois o contrato possui cláusulas de cobertura em caso de morte ou invalidez permanente e Danos Físicos ao Imóvel (DFI), por se tratar de exclusiva e obrigatória para os imóveis financiados pelo SFH.”, afirma a advogada especialista em direito imobiliário, Tatiana Nascimento.

seguro imobiliário
(Foto: Shutterstock)

Além deles, existe o seguro-fiança que substitui o fiador nos contratos de locação e garante o pagamento do aluguel e dos encargos e o seguro residencial, mas que ainda não tem muita popularidade entre os brasileiros.

O contrato que assegura o imóvel possui características próprias que diferencia do seguro habitacional, pois o seguro residencial não é obrigatório, tem cobertura estrutural e conteúdo do imóvel como incêndio, queda de raio no imóvel segurado e explosão de qualquer natureza, independentemente do local de origem, vendaval, vento forte e chuva de granizo. Algumas seguradoras dispõe de profissionais especializados em caso de pequenos imprevistos do dia a dia.

+ Você sabe de onde o banco tira o dinheiro para financiar um imóvel?

+ Problemas financeiros são evitados com planejamento

Segundo o especialista em direitos imobiliários, Jansen Oliveira, o mercado imobiliário trabalha também com o seguro obrigatório de responsabilidade civil do construtor de imóveis que cobre possíveis danos que possam ocorrer durante a execução da obra em zonas urbanas, contra a construtora ou à terceiros, sendo sua contratação obrigatória e o seguro obrigatório de edifícios divididos em unidades autônomas que garantem todos os riscos seguráveis que ameaçam o prédio e também o conteúdo comum.

“A não contratação de seguros gerará responsabilização cível e muitas vezes criminal. Inclusive, referente aos seguros obrigatórios. As pessoas que deixarem de contratar os seguros legalmente obrigatórios estarão sujeitas ao pagamento de multa bastante pesada”, aponta Oliveira.

+ Gostou das dicas? Aproveite e deixe seu comentário!

+ Faça seu cadastro no ZAP Pro e receba as novidades!

Veja 5 dicas para você abordar seu cliente e vender mais

Aprenda a fotografar imóveis com seu smartphone

Quando dividir a comissão de um imóvel?

+ Saiba o que você precisa para ser um bom corretor de imóveis

+ Corretor, saiba como transformar leads em vendas

Escreva um comentário