Mercado Imobiliário

Telhados verdes ganham cada vez mais adeptos no Brasil

Nos últimos anos, surgiram várias empresas especializadas em telhados verdes. Mas este tipo de projeto ainda não é um fator decisivo na compra, entretanto, segundo empresários do mercado, serve como critério de desempate na hora da compra.

Segundo Silvio Gava, diretor-executivo técnico e de sustentabilidade da Even, desde 2010 a construtora adota o telhado verde em todas as suas obras.

“Implementamos telhado verde na maioria das lajes expostas nos pavimentos inferiores, como térreos e pilotis. Hoje os consumidores são mais cuidadosos em relação à sustentabilidade. Ela ainda não é um fator decisivo, mas já se torna um diferencial, ou seja, um critério de desempate”, avalia.

Gava explica que o telhado verde reduz a carga térmica do ambiente. Isso significa mais conforto térmico e redução do uso de recursos como o ar-condicionado.

Empreendimento ainda não é um fator decisivo, mas já se tornou um diferencial (Foto: Shutterstock)
Empreendimento ainda não é um fator decisivo, mas já se tornou um diferencial (Foto: Shutterstock)

“Também contribui com a isolação acústica de ambientes, minimizando determinadas frequências e sons. O telhado verde também retém gás carbônico, pois ao aumentar a área verde que sequestra gás carbônico da atmosfera, há uma redução da poluição e do efeito estufa”, explica.

A solução também melhora os ecossistemas, atraindo pássaros e borboletas, bem como contribui com a questão hídrica, com a retenção de águas das chuvas.

Para o arquiteto Benetido Abbud, a busca por telhado verde tem aumentado bastante porque é uma ação importante por conta da certificação, mas é também uma gentileza urbana, já que, optando por ele, se está fazendo algo para si e para o bem público.

(Foto: Divulgação)
Projeto verde de Benedito Abbud (Foto: Divulgação)

“Essa atitude minimiza a poluição e também diminui a ilha de calor, fenômeno urbano que é uma bolha de calor que fica em cima das cidades. E melhora a temperatura na parte inferior do imóvel. A estimativa é que haja uma diferença entre 4 e 5 graus na temperatura”, diz.

Existem alguns modelos, um deles é o de plaquinhas com plantas suculentas, que são rasteiras e importadas. “E tem também um modelo que foi criado por mim, a tecnologia TEC Garden, que também é plaqueamento feito com  plástico e com um vão de 10 cm entre a laje e a terra do jardim”, explica.

Segundo Abbud, coloca-se a planta e a terra. A água da chuva enche esse vazio de água e há também um sistema de drenagem. É possível fazer deste lugar um verdadeiro jardim e colocar uma ducha, um ofurô. “A montagem do metro quadrado de um telhado verde custa, em média, R$ 300, mas é preciso considerar este aspecto quando está fazendo a estrutura do imóvel por causa do peso”, avisa o arquiteto.

Outros fatores também processo que remetam à sustentabilidade, como,  a economia de água, conforto térmico, acústico, ventilação e iluminação (Foto: Shutterstock)
Outros fatores também remetam à sustentabilidade, como, a economia de água, conforto térmico, acústico, ventilação e iluminação (Foto: Shutterstock)

Para Gava, um dos pontos a serem avaliados na hora de adotar o telhado verde é a escolha das espécies que serão utilizadas, evitando, por exemplo, as que demandam muita irrigação.  Deve-se levar em conta ainda a condição estrutural das edificações, devido ao sobrepeso que pode ser ocasionado nas lajes.

“A questão do telhado verde é somente um dos inúmeros pontos que tornam um edifício mais sustentável e eficiente. Muitos outros fatores devem ser pensados neste processo que remetam à eficiência energética, economia de água, conforto térmico, acústico, ventilação e iluminação”, argumenta.

Segundo ele, na medida em que os clientes passam a morar em prédios com itens de sustentabilidade, usufruem desta tecnologia, gastam menos com condomínio e enxergam os benefícios disso, eles tendem a dar mais valor ao tema.

Escreva um comentário